Bio/Statement

Biografia

Hélio Cristóvão (Alenquer, Portugal, 1981), fotógrafo residente em Sintra. O seu percurso é actualmente assinalado pelo trabalho em áreas de fotografia onde procura afirmar o seu estilo pessoal e nas quais actualmente trabalha em simultâneo com a fotografia de natureza e fotografia de Autor, seja reportagem social, retrato e fotografia infantil.

Auto-Retrato – Cabo da Roca. A proximidade do Parque Natural de Sintra-Cascais destaca-se no percurso de Hélio, levando-o nos últimos anos a uma estreita relação com fotografia no Cabo da Roca (Ponto mais Ocidental do continente Europeu), a área costeira que mais tem percorrido a pé por trilhos, arribas e pesqueiros.

Prémios

A fotografia do autor tem sido reconhecida e premiada em Portugal, do ponto de vista profissional e em concursos nacionais. Como membro de uma comunidade de fotógrafos de natureza sediada nos Estados Unidos, tem fotografias reconhecidas pela crítica merecendo destaque internacional. Alguns prémios:

  • 1º PrémioIV Concurso de Fotografia “Lagos Natural” / C.M. Lagos, outras entidades / foto
  • 1º PrémioV Concurso de Fotografia “Mãe… Natureza” / Jornal Correio da Linha ‘Divulgue a sua arte protegendo a Natureza’ / Sintra / foto
  • 1º e 3º PrémiosXXV Concurso Fotográfico de Manteigas “25 Anos de Fotografia” / C.M. Manteigas / foto 1 e foto 2
  • 1º e 3º PrémiosXXVI Concurso Fotográfico de Manteigas / C.M. Manteigas / foto 1 e foto 2
  • Prémio único ‘Verão’ – I Concurso de Fotografia “Paisagens de Montanha do Parque Nacional da Peneda-Gerês” / Blog Carris, ADERE Peneda-Gerês, PNPG, United Photo Press / foto
  • Prémio único ‘Paisagem Natural’ – IX Concurso de Fotografia de Ambiente do CISE / Centro de Interpretação da Serra da Estrela, C.M. Seia / foto
  • Editor´s Picks Awards‘ – Fotografia de paisagem natural / Nature Photographers Magazine (U.S.) / foto 1 e foto 2

A fotografar searas douradas no Parque Natural do Vale do Guadiana (Foto: João Matos)

Exposições

Hélio Cristóvão promove e tem participado em diversas exposições individuais, colectivas e itinerantes, onde tem obras seleccionadas disponíveis para venda ao público e edições limitadas para coleccionadores. Para mais informação sobre exposições do autor, interesse em expor por convite e agendamento, por favor contacte. Exposições recentes do autor:

A decorrer:

  • Exposição permanente no Algarve, Galeria Villa Sunshine em Almancil. Contacto e marcação prévia: Valérie Londot www.londotgallery.com
  • Exposição itinerante individual ‘Vale do Guadiana‘ / Serpa, Mértola, Castro Verde / Disponível para agendamento

Decorridas:

  • Exposição colectiva 10 anos National Geographic Portugal / Fevereiro e Março 2011 / Palácio da Independência e C.C. Amoreiras, Lisboa
  • Exposição colectiva de Fotografia no Parque Nacional Peneda-Gerês / Agosto e Setembro 2011 / Parque de Cerdeira, Campo do Gerês
  • Exposição colectiva no Museu da Árvore, Casa Bonsai / Maio 2011 / Sintra
  • Exposição individual ‘Vale do Guadiana / ult. trimestre 2010 / Atelier Galeria Margarida de Araújo, Serpa
  • Exposição individual ‘Vale do Guadiana / prim. semestre 2011 / Hotel São Domingos, Minas de São Domingos, Mértola
  • Exposição colectiva na Galeria Municipal de Corroios / Setembro e Outubro 2010 / Seixal

 

Artist Statement

Helio Cristovao Photographer Self-Portrait Sunset  Photography

A fotografia é para mim um meio de criação e expressão artística. Uma visão própria do mundo, imaginação em constante movimento, a transposição da realidade ao olho humano para novas realidades, em que o único intermediário é o talento do fotógrafo.

A forma como trabalho com luz e a visão, estética e composição das minhas imagens, revelam um estilo de fotografia na procura artística e interpretativa da paisagem e detalhes naturais, fortemente marcada por um estilo pessoal; procuro transportar a energia, dramatismo e emoção para a fotografia.

Na obtenção das minhas imagens há um espírito de aventura aliado à descoberta e à verdadeira experiência do lugar. Nos meus percursos por trilhos de montanha ou ravinas costeiras, surgem por vezes desafios aos limites do que julgamos ser possível, em que os acessos são trilhos improváveis, como acontece em grande parte nas falésias da Costa Vicentina e Cabo da Roca, muitas com dezenas de metros de altura. Alcançar esses lugares selvagens de natureza intacta de difícil acesso são experiências memoráveis que ficam para a vida, e por um lado sinto que é um privilégio.

Fotografo muito nos extremos do dia, é à luz crepuscular e de nascer e pôr-do-Sol ou Lua que se revelam momentos especiais de luz na paisagem. Não se trata apenas de “tirar” uma fotografia, todo o processo exige empenho, motivação, planeamento, experiência. E muitas vezes o regresso aos mesmos locais. A fotografia no exterior depende de uma série de variáveis que influenciam a quantidade/qualidade de luz: o nascer, ocaso e altura do Sol e Lua, a meteorologia, vento e formações de nuvens, geadas e nevoeiros, altura de marés, fases da Lua, estação do ano, são factores a ter em conta. Todos tem ponderação ao obter uma boa fotografia, mas mesmo que as condições no terreno resultem, há a perícia e o desafio constante às nossas capacidades a fotografar.

Não faço manipulação de cores de forma a alterar substancialmente os tons de uma cena, as cores são o resultado da luz existente no momento, quer obtida por luz natural ou artificial – iluminação de flash, coloração ou outra. Efeitos de desfoque, sensação de movimento, abstractos, “pintura” com luz, são todos criados no momento de disparo com perícia e técnicas possíveis na realização da fotografia.

No entanto, não desprezo qualquer técnica de edição digital, quer em complemento do que a câmara fotográfica não consegue alcançar (trabalhar múltiplas exposições), quer HDR, quer métodos de edição selectiva. Em boa verdade, sou despreocupado relativamente a comentários sobre se as situações são ‘reais’ ou ‘manipuladas’, isto apesar de apreciar uma boa crítica. A fotografia tem uma componente de interpretação da própria cena, e a meu ver, é a intenção do fotógrafo que conta e todo o processo de criação e edição; é o resultado final que interessa, independentemente das técnicas utilizadas.

O Autor, Setembro de 2011

 

 

Crítica, Banco de imagens, Redes Sociais

 

Conheça mais do trabalho do autor, visite a página de crítica fotográfica na Nature Photographers Magazine, (website oficial da Nature Photographers Network™), assim como banco de imagens em Photoportfolios.net, ou siga de perto todas as actividades através das redes sociais Twitter e Facebook

Visite a Galeria de crítica de fotografia no website Nature Photographers
Ver o meu Portfolio de fotografia online em PhotoPortfolios.net
Junte-se a nós no Facebook!
Siga as notícias no Twitter